GCN na Web

Um overview de tudo aquilo que estamos fazendo na Web

Capa em debate: a vitrine de um jornal

leave a comment »


Foto: Fael Andrade/Comércio da Franca

Luciano Tortaro

Editor

“Por que a foto da capa não remete para o assunto da manchete?” “Qual é a relevância de um homem que anda descalço para merecer grande foto na capa do jornal de domingo?” Questões como essas e, também, esclarecimentos sobre qual é exatamente o papel de um conselheiro, nortearam a segunda reunião do quarto Conselho de Leitores do GCN Comunicação 2011 no último dia 2 de abril. Reunidos na Sala Horizonte, na sede do grupo, os conselheiros concentraram parte de suas observações à primeira página do Comércio.

Onze membros do Conselho e dois ex-conselheiros convidados – Marco Aurélio Piacesi e Ricardo Veríssimo Júnior – participaram da reunião que começou com um debate sobre o poder da mídia. Após o assunto global, as discussões tornaram-se locais e focadas noComércio. Causou estranheza aos conselheiros o fato de uma das edições do jornal trazer uma grande foto sobre estradas quando o assunto da manchete era educação. Outro ponto de divergência foi a publicação de uma foto na primeira página do jornal de um ex-sapateiro de Franca que não usa sapatos. O que os jornalistas consideram “inusitado” foi visto como “exagerado” e “fora de lugar” pelos conselheiros. Houve também uma reflexão sobre o papel do conselheiro: criticar, sugerir ou as duas ações?

Recém-formado, o atual grupo mostrou-se satisfeito com sua atuação e entusiasmado para continuar colaborando para que os veículos de comunicação do GCN sejam cada vez mais próximos da população. Os conselheiros foram recebidos na manhã de sábado pelo diretor responsável do GCN, Côrrea Neves Júnior; pela presidente do Conselho de Administração, Sônia Machiavelli; pela editora-chefe do Comércio, Joelma Ospedal; pelo diretor artístico da Rádio Difusora, Everton Lima; e pelo editor de Opinião e gestor de Relações Corporativas, Luiz Neto. O diretor de Pessoas do GCN, Israel Gomes, também participou do encontro.

Na reunião, os conselheiros Éder Silveira Brazão, Gabriel Guagneli Fernandes, Iraci Procópio Bortolato Pereira, Juliana Franco de Souza, Marina Souza Oliveira, Mariza de Lourdes Barbosa Garcia, Mateus Menezes do Nascimento, Nelson da Rocha Neves, Rita de Cássia Rangel Vilela Souza e Rosana Aparecida David Prado conheceram seu novo colega, o empresário Cícero de Oliveira. Ele foi convidado a participar do Conselho em substituição a Marco Antônio Saldanha Fornaciari, que se desligou do grupo antes da primeira reunião. Não esteve presente à reunião o conselheiro Renato Centeno.


Controle

Além das reuniões, o GCN mantém uma caixa de correspondência por meio da qual os conselheiros podem se manifestar entre uma reunião e outra. Nesse espaço virtual, o conselheiro Mateus Nascimento, estudante e blogueiro, colocou um assunto polêmico em discussão: o controle da informação. Para ele, as propagandas de redes de fast food, por exemplo, deveriam de alguma forma ser controladas, mesmo se fosse com alertas de que a ingestão de certos produtos pode causar danos à saúde. O jornalista Corrêa Neves Jr. deu espaço ao debate durante a reunião, mas deixou clara sua opinião. “É preciso ter cuidado quando passamos o poder de decisão da nossa vida aos outros. Eu é que tenho de escolher o que vou comer, não o Governo. É temerário um grupo querer dizer o que o outro pode ler ou falar. Eu quero ter a minha opinião”.

Controle 2

Ainda sobre o assunto “controle”, a editora-chefe do Comércio, Joelma Ospedal, completou. “Quando pensamos em controlar, só pensamos em controlar aquilo com o que não concordamos. Nos esquecemos que, ao aceitar essa política, podemos ser nós mesmos os controlados”. O ex-conselheiro Marco Aurélio Piacesi seguiu o mesmo raciocínio. “O controle acaba controlando você”.

Denunciar

A função do jornal também foi discutida durante a reunião com os conselheiros. OComércio da Franca é tido como o grande porta-voz da comunidade e, talvez por essa razão, seja comum ouvir de leitores cobranças para que o veículo resolva os problemas sobre os quais faz reportagens, por exemplo. “O papel do jornal é gritar, é provocar, é dar espaço para que a situação seja colocada e discutida, é dar voz à comunidade. Mas cabe à sociedade também se movimentar, se posicionar, cobrar resultados de instituições e autoridades. Não podemos nos acomodar como cidadãos”, disse Júnior. Piacesi acredita que é necessária uma mudança de postura do povo. “O ser humano que recebe uma informação, fica indignado e não toma nenhuma iniciativa, não merecia ter recebido a informação”.

‘Nosso papel’

A reunião, como de hábito, foi recheada de sugestões, mas, também, de críticas ao trabalho realizado pela equipe do GCN. A situação deixou a conselheira Mariza Garcia em dúvida sobre a função do conselho. “Penso que não podemos aconselhar apenas em cima de críticas”, disse. Para ela, o Conselho deveria mais sugerir do que criticar. Júnior a tranquilizou e disse que críticas não são só normais, como bem-vindas. “Vocês apontam, nós observamos, pensamos, ponderamos e nos posicionamos. A partir desse processo, temos condições de perceber eventuais problemas, corrigi-los e, assim, garantir a melhora contínua de nossos produtos”. O conselheiro Nelson Neves demonstrou satisfação com o trabalho do grupo. “O Conselho é novo, mas está indo com uma profundidade muito boa nos assuntos. Está me surpreendendo”.

Written by GCN Comunicação

11/04/2011 às 14:27

Publicado em Institucional

Tagged with , , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: