GCN na Web

Um overview de tudo aquilo que estamos fazendo na Web

Archive for the ‘opinião’ Category

Projeto gráfico: leitores aprovam o novo ‘Comércio’; veja as opiniões

leave a comment »


Paula, Bruna e Júlia Comparini. Família é assinante do Comércio da Franca há cinco anos e aprovou as mudanças no projeto gráfico do jornal, lançadas na edição do último domingo (Foto: Divaldo Moreira/ Comércio da Franca)

Paula, Bruna e Júlia Comparini. Família é assinante do Comércio da Franca há cinco anos e aprovou as mudanças no projeto gráfico do jornal, lançadas na edição do último domingo (Foto: Divaldo Moreira/ Comércio da Franca)

O novo projeto gráfico do jornal Comércio da Franca estreou neste domingo e surpreendeu muita gente. “Tomei um susto quando peguei meu jornal pela manhã! Pensei até que era outro, só depois percebi que era o Comércio”, disse a aposentada Luzia de Oliveira, 74. A reação de Luzia foi semelhante a de outros leitores de Franca e região ao olhar o novo design do jornal.

Passado o susto inicial, a surpresa foi dando lugar ao encantamento provocado pelos desenhos mais elegantes e leves das páginas do “novo jornal”. “Ficou muito mais limpo e fácil de ler”, resumiu a corretora de imóveis Paula Comparini, 39. Ela assina o jornal há cerca de cinco anos e, por sua profissão, costuma acompanhar sempre as notícias sobre imóveis, publicada no Classificados. “Ontem (domingo), quando eu bati o olho, rapidamente vi quais eram os destaques. Foi uma ‘repaginada’ muito bem feita”, elogiou.

A concepção do novo projeto gráfico do Comércio foi feita ao longo dos últimos 18 meses, sendo idealizada pela equipe jornalística e realizada pela empresa Cases i Associats, da Espanha. Os investimentos superam os R$ 500 mil.

As letras, a diagramação das páginas, as cores, as fotos foram alteradas para que a leitura seja mais prática, rápida e agradável. Com a reformulação do projeto gráfico, o jornal ganhou também novas seções. Uma página de serviços e uma dedicada exclusivamente aos leitores estão entre as novidades. O objetivo do Comércio com a criação desta página é ampliar a participação dos leitores, como uma forma de proporcionar uma aproximação maior entre eles e o jornal. Esta página contém, por exemplo, a seção Tô Puto para que os leitores possam se manifestar sobre problemas vividos no seus bairros e na cidade de uma forma geral.

A página traz ainda um espaço reservado para a publicação de fotos feitas pelos próprios leitores.

As seções agradaram e as reclamações e fotos já começaram a chegar à redação do Comércio. “Parte de uma ideia simples, mas que é muito bem pensada. Dar um espaço para que o próprio povo tenha onde expor suas reclamações e opiniões é dar ao ‘papel’ uma cara mais de ‘internet’”, disse a universitária Monica Rodrigues.

O maestro da Orquestra Sinfônica de Franca, Nazir Bittar, ficou entusiasmado com as mudanças. “Que bela surpresa tirar o jornal do saquinho plástico e ver que uma nova era se inicia! Pela forma como tudo foi pensado tenho certeza que o Comércio será cada vez mais uma potência em nossa cidade! Parabéns aos envolvidos! Mudanças são as vezes dolorosas mas trazem um benefício sem fim!”, comentou.

Anúncios

Written by GCN Comunicação

22/08/2013 at 13:29

Você já teve problemas ao procurar a rede pública de saúde? Fale aqui

with one comment


O Comércio da Franca quer se aproximar ainda mais do leitor e se tornar cada vez mais útil. Para isso, prepara muitas novidades previstas para o mês de março. Entre elas está a ampliação do espaço para que o leitor possa reclamar de problemas vividos em sua rua ou bairro. Vamos também publicar fotos enviadas pelo leitor de fatos do cotidiano ou com um olhar mais jornalístico. Veja como participar:

Reclame aqui
Você tem que conviver com um problema no seu bairro ou na sua rua e não sabe para quem reclamar? Terreno baldio com mato alto? Falta iluminação pública? Buraco na rua que só cresce? O médico não lhe atendeu na Unidade Básica de Saúde mesmo com horário agendado? A empresa não entregou o produto que você comprou? A boate ao lado da sua casa não deixa você dormir? Não importa o que seja. O Comércio vai abrir espaço para você reclamar livremente e vai cobrar uma solução para o seu problema. Entre em contato pelo e-mail patricia.paim@comerciodafranca.com.br ou pelo telefone (16) 3713-8853 e faça sua reclamação.

O seu olhar
Caro leitor, nós queremos ver Franca a partir do seu olhar. Se você assistiu a uma manifestação cultural ou esportiva e acha que a foto que tirou do evento mereceria sair nas páginas do Comércio, ou flagrou o momento exato em que a enxurrada tomou conta das principais avenidas da cidade, ou descobriu um lugar lindo com flores bem cuidadas em pleno espaço público da cidade, mande a foto para o Comércio. Nossos fotógrafos e editores vão avaliar sua foto e as que tiverem teor jornalístico ou forem esteticamente interessantes, serão publicadas. Junto com a imagem não se esqueça de enviar uma legenda descrevendo a cena e seus dados pessoais com telefone de contato. Mande sua foto e seus dados para o e-mail: patricia.paim@comerciodafranca.com.br. Não esqueça de incluir seu telefone de contato.

Written by GCN Comunicação

06/03/2013 at 20:54

É hora de indicar o Empresário do Ano e o Empreendedor Social 2012

leave a comment »


Por: Ana Catarina Prebill da redação

Quem, na sua opinião, merece receber uma grande homenagem por ter se destacado em um ramo de negócios ou por promover ações que melhoraram a vida de um grupo de pessoas ou da comunidade francana, em geral? O GCN Comunicação vai, pelo sétimo ano consecutivo, premiar com troféus de Empresário do Ano e Empreendedor Social do Ano os personagens cuja atuação teve maior relevância nos dois segmentos. Mais uma vez, quem indica aqueles que participarão da disputa pelos troféus são os leitores. Os prêmios serão entregues na noite de gala do Top Franca 2012.

O prazo para a indicação de nomes abre hoje, domingo, e se encerra no dia 5 de agosto no Portal GCN (www.gcn.net.br). Clicando no banner “Top Franca 2012”, na home do site principal, o internauta será guiado para uma nova janela onde deve preencher um formulário e explicar por que o escolhido merece o destaque.

Poderá ter seu nome indicado a Empresário do Ano qualquer pessoa que tenha uma empresa estabelecida em Franca e tenha se destacado no seu segmento ao longo do ano. “O merecedor do troféu Empresário do Ano será aquele cuja empresa registrou crescimento de produção e/ou de contratação; ampliação de área ou de atuação; que tem responsabilidade empresarial; que oferece condições diferenciadas de trabalho aos seus funcionários, que se destaca pelo atendimento de qualidade aos clientes e fornecedores, enfim, contribuiu com sua atuação para o fortalecimento de sua empresa e, por extensão, da economia da cidade”, disse a editora-chefe do Comércio, Joelma Ospedal.

O perfil daquele que se tornará apto ao prêmio de Empreendedor Social, como o nome do troféu sugere, inclui características como ação pela comunidade ou por um grupo em particular de forma voluntária e solidária. “É necessário que esse personagem tenha contribuído com uma instituição, com a comunidade, ou tenha se dedicado de maneira especial a uma causa social que tenha feito diferença na cidade”, completou Joelma.

Para se tornarem válidas, as indicações devem trazer o nome da pessoa ou empresa a ser premiada, a atividade desenvolvida, o telefone de contato e a localização.

TRIAGEM
Após o dia 5 de agosto, com a listagem completa de nomes e empresas sugeridos, a direção do GCN se reúne para fazer a triagem inicial que define os 10 nomes finalistas para o Troféu Empresário do Ano e os cinco nomes para o Troféu Empreendedor Social. Participam do processo jornalistas e gestores de diferentes áreas do grupo. A lista de finalistas passará depois por um júri formado por personalidades da cidade e, também, ganhadores de anos anteriores, mais integrantes da direção do GCN. O júri escolherá os ganhadores dos troféus.

Para Sônia Machiavelli, presidente do Conselho Consultivo do GCN Comunicação, o mais importante nos nomes que recebem os prêmios da festa Top Franca é o fato de que são apontados pela própria comunidade. “Este princípio é, para mim, valioso, pois, como diz a sabedoria popular, a voz do povo é a voz de Deus”, explica.

Olívio Xavier, fundador das Lojas Xavier e ganhador do troféu de Empresário do Ano em 2011, corrobora com a opinião de Sônia e se recorda com emoção do prêmio recebido. “Foi algo que eu jamais esperava sentir na minha vida. Não sei se merecia tamanha homenagem, mas nunca vou me esquecer. O momento foi especial para mim e a minha família.”

TOP FRANCA
A entrega dos troféus especiais será no dia 22 de setembro, na sede social do Castelinho, na festa Top Franca, considerada uma das maiores noites de gala do interior paulista. O mesmo evento homenageia também as marcas mais lembradas de 70 categorias diferentes dos setores comercial, industrial e de serviços da cidade. A relação de marcas que estão na cabeça do francano é obtida por meio de pesquisa realizada pelo Instituto Datalink, a partir de critérios científicos. No total, 210 empresas serão homenageadas.

 

 

 

Written by GCN Comunicação

15/07/2012 at 13:08

A força da imagem

with one comment


Dirceu Garcia/Comércio da Franca

Correa Neves Junior (centro) fala aos conselheiros sobre a força da imagem

Na manhã de 31 de março, regada a salgados, quitutes, café, sucos e muita discussão sobre fotojornalismo, foi realizada a segunda reunião do Conselho de Leitores do GCN Comunicação. O encontro na sede da empresa foi um pouco diferente do convencional. Em vez das discussões sobre a produção jornalística dos veículos do grupo, o jornalista Corrêa Neves Júnior decidiu apresentar aos conselheiros a palestra A força da imagem, a mesma que havia exposto no dia anterior para professores de escolas parceiras do projeto Jornal Escola, desenvolvido pelo Comércio da Franca. Ao fazê-lo, conseguiu atingir seu objetivo: levar os conselheiros a refletirem sobre a importância da publicação de fotos, mesmo as mais impactantes ou desagradáveis de se ver. “Tivemos uma verdadeira aula de história e de história do jornalismo”, disse o advogado Éder Brazão.

Júnior revisitou, por meio de imagens marcantes, momentos históricos mundiais, como a Guerra do Vietnã (1972) e o assassinato do ex-presidente dos Estados Unidos John Kennedy (1963), relembrou casos marcantes em Franca, como a denúncia de pedofilia contra o padre José Afonso Dé (2010), e acidentes de trânsito com mortes na região. O jornalista explicou aos conselheiros que as fotos, como a de uma menina correndo após sofrer queimaduras provocadas por uma agente químico no Vietnã, foram publicadas pelos mais importantes jornais do mundo. São imagens que permitem uma leitura histórica dos fatos. “Os Estados Unidos saíram do Vietnã a partir da publicação da foto da menina queimada com agentes químicos após reprovação das pessoas porque pregava-se que não estavam sendo usados agentes químicos”, disse Júnior.

O jornalista comentou também imagens publicadas pelo Comércio. A motivação para esta exposição surgiu a partir do grande volume de críticas de parte dos conselheiros a respeito da publicação de uma foto na capa da edição do dia 28 de fevereiro de 2012. Uma jovem de 19 anos aparece ao volante do seu carro cabisbaixa e com os braços ensanguentados. A imagem foi feita pelo fotógrafo Dirceu Garcia momentos após um violento acidente. Ao lado da motorista, no banco do passageiro, está deitada sua avó, a dona de casa Aleida André Machado, 73, morta no acidente. A idosa não foi a única vítima. A motorista invadiu a pista contrária na rodovia Ronan Rocha e atingiu o sapateiro Michel Eduardo Ferreira, 18, que estava de moto e também morreu na hora.

Júnior exibiu a capa e indagou os conselheiros: “Por que essa foto incomoda tanto?” Para ele, a plástica da foto não é determinante e o que incomoda é a realidade, o fato em si. “Vocês não gostam que o jornal esfregue na cara o que está acontecendo. Mas é a realidade. Não é a foto que desagrada. O que incomoda é pensar que aquilo pode acontecer. É preciso refletir sobre isso. Não precisa concordar comigo, mas tem que refletir.”

O jornalista ressaltou que o Comércio publicou outras fotos impactantes, como a que o ex-ditador da Líbia, Muamar Kadhafi, aparece morto ensanguentado e a de um monge tibetano com o corpo em chamas após se autoimolar durante protesto contra a China na Índia, e não houve críticas dos leitores. “O problema é só quando a foto é daqui, da realidade que todos querem fingir que não existe.”

A conselheira Iraci Bortolato Pereira, que é comerciante, manteve sua desaprovação à publicação da foto. “Mudou alguma coisa na sociedade? A foto chocou muito no dia, mas ninguém está lembrando dela agora. Não percebi mudança porque depois houve muitos acidentes.” Já a psicóloga e psicopedagoga Renata Fuzisawa acredita que a foto pode conscientizar os motoristas sobre os riscos do trânsito e motivar atitudes mais seguras. “Nossa percepção muda, a gente fica mais atento ao dirigir.” O funcionário público Marcel Antônio Santos, da Defesa Civil, vai além e defende a publicação semanal de fotos de impacto como a do referido acidente. “Vejo acidentes assim todos os dias. Se tiver uma foto dessa por semana e se apenas uma pessoa, a partir dela, passar a prestar mais atenção no trânsito, já terá sido válida (a publicação).” O motorista profissional Valdir Alves concorda. “Estou na rua direto e para mim é um tapa na cara [esse tipo de imagens], é uma forma de me conscientizar porque vejo que no trânsito dirijo para outras pessoas. Acho a publicação oportuna.”

Os jornalistas Corrêa Neves Júnior, Sônia Machiavelli e Joelma Ospedal acreditam que, a longo prazo, a publicação desse tipo de material contribuirá para a conscientização das pessoas. “Não é em um ano que as coisas vão mudar. Demora décadas, mas não podemos desistir. A foto suscitou questionamento grande. Ela cumpriu assim o seu papel”, disse Sônia. “Temos publicado várias notícias e fotos de acidentes e parece que não tocam mais as pessoas. Essa foto causou impacto, deu um chacoalhão. É importante chamar a atenção para conseguir levar à reflexão”, disse Joelma.

O empresário Cícero de Oliveira fez um balanço positivo do encontro. “Excelente reunião, muito bem planejada, esclarecimentos perfeitos do Júnior e o ponto alto para mim foi a cantora Billie Holiday interpretando Strange Fruit. Me emocionei muito e fiquei quase sem palavras. Nunca mais esquecerei esse momento em minha vida”, disse ele, referindo-se ao vídeo que Júnior apresentou aos conselheiros. A referida música serviu de inspiração para a Gazetilha publicada no último dia 4 de março. O texto, de autoria de Corrêa Neves Júnior, também discorre sobre a relevância de da publicação de fotos impactantes. (O texto está disponível no portal GCN, aqui). Na reunião, Júnior ainda comentou sobre as amarras legais para publicação de fotos pela imprensa, especialmente de crianças, e também houve espaço para os conselheiros sugerirem pautas e comentar outras coberturas jornalísticas do GCN, como as da editoria de política (leia mais nesta página).
PRESENÇAS
Os conselheiros Adriana Aparecida Garcia, Ana Amélia Ferreira, Cícero de Oliveira, Débora Cristina Carrijo, Éder Silveira Brazão, Iraci Bortolato Pereira, Marcel Antônio Santos, Renata Fuzisawa e Valdir Alves foram recebidos pelo diretor executivo do GCN, Corrêa Neves Júnior, pela presidente do Conselho Consultivo do GCN, Sonia Machiavelli, pela editora-chefe do Comércio, Joelma Ospedal, pelo diretor artístico da Rádio Difusora AM, Everton Lima; e pelo editor de Opinião e gestor de Relações Corporativas, Luiz Neto, para mais um encontro no último dia 31. Os conselheiros Ézio Athayde Souza Júnior, Ronaldo Pereira da Silva e Mariza Barbosa Garcia não compareceram à reunião.

COBERTURA ESPECIAL
A política esteve em pauta. As eleições internas do PSDB e a cobertura das sessões da Câmara Municipal foram aprovadas pelo Conselho de Leitores. Júnior aproveitou para informar o grupo sobre o projeto para cobertura política especial das eleições municipais de 2012 que está sendo elaborado pelo GCN Comunicação. Candidatos de Franca e região serão convidados para sabatinas com jornalistas que serão transmitidas pela Rádio Difusora AM, portal GCN e publicadas em material especial no Comércio e portal GCN. “A cobertura das eleições é como uma Copa do Mundo. Faremos de dez a 12 sabatinas somente com candidatos de Franca porque são cinco a seis candidatos a prefeito e cinco a seis a vice-prefeito”, disse Júnior.

PROMOTOR x JUIZ
O Conselho elogiou a cobertura sobre o caso em que o promotor de Justiça Paulo César Corrêa Borges é acusado pelo juiz José Rodrigues Arimatéa de ter postado cartas anônimas com denúncia forjada de nepotismo contra ele o seu diretor de Serviços, Douglas Quintanilha. “A notícia gerou muito impacto”, comentou a psicopedagoga Renata Fuzisawa.

NOSSAS LETRAS
A publicação de textos, no Caderno Nossas Letras, do vendedor Ronaldo Pereira da Silva rendeu elogios. Ronaldo, integrante do Conselho de Leitores, foi parabenizado pelos colegas do Conselho e o jornal, elogiado por abrir espaço para revelar novos talentos literários da cidade. Ronaldo, no entanto, não participou da reunião. O caderno circula aos sábados nas páginas do Comércio.

Written by GCN Comunicação

08/04/2012 at 12:58

Alunos do Grupo Veredas conhecem instalações do GCN

leave a comment »


Marcos Limonti/Comércio da Franca

O diretor artístico da rádio, Everton Lima (de roxo), mostra aos alunos detalhes da programação da Difusora AM

Jovens que decidiram abrir mão de uma parte de seu tempo livre para começar a correr atrás de seus sonhos, conheceram ontem, o lugar onde a dedicação e o talento pode lhes levar. Sete alunos do curso de rádio do Grupo Veredas, instituição mantida pelo GCN Comunicação, viram de perto como são feitas as transmissões radiofônicas diretamente dos estúdios da Difusora AM.

O passeio, porém, não se restringiu ao estúdio e os jovens conheceram todas as instalações do GCN, como a redação integrada e o parque gráfico, por exemplo. O professor da turma também serviu de guia para eles. O diretor artístico da rádio, Everton Lima, mostrou com detalhes como funciona o mundo em que um dia todos eles querem fazer parte.

Written by GCN Comunicação

23/03/2012 at 13:14

Leitores debatem a fronteira entre o espaço público e o limite privado

leave a comment »


Dirceu Garcia/Comércio da Franca

A primeira reunião do Conselho de Leitores aconteceu no dia 11

Luciano Tortaro

Editor do caderno Local

A tênue fronteira entre o público e o privado em uma empresa de comunicação na maior parte das vezes é incompreensível pelos leitores de um jornal, de um portal de notícias na internet, pelos ouvintes de uma rádio ou pelos espectadores de um telejornal. A dificuldade para esta percepção é inerente à função dos meios de comunicação, que é a de manter a comunidade informada de tudo que acontece à sua volta e servi-la, seja denunciando mazelas do poder público ou abrindo espaço para que expresse sua opinião. Com o advento das redes sociais na web, os meios de comunicação testemunham a ânsia da população para exprimir seu ponto de vista. O fórum de debates, antes restrito à página de opinião dos jornais, hoje ganhou ares ilimitados e atemporais na internet. Comenta-se o quanto e quando desejar. Mas como garantir o direito público de se expressar e, ao mesmo tempo, respeitar os limites legais aos quais está sujeito uma empresa de comunicação no Brasil?

O tema foi amplamente debatido na primeira reunião do Conselho de Leitores 2012 do GCN Comunicação. O encontro aconteceu no dia 11, na sede da empresa. Doze conselheiros – quatro veteranos reconduzidos da formação anterior e oito debutantes – foram recepcionados por diretores do grupo formado pelo jornal Comércio, rádio Difusora AM e Portal GCN (www.gcn.net.br).

Uma sugestão de membros do Conselho 2011 era disponibilizar a opção de “não curtir” nos comentários postados no Portal GCN, assim como existe a possibilidade de “curtir”. O assunto voltou a ser discutido na primeira reunião do grupo de 2012. O conselheiro Éder Brazão, remanescente da formação anterior, defendeu a ideia. Para ele, muitos internautas escrevem disparates que merecem ser “não curtidos”. Para discorrer sobre o tema, o diretor executivo do GCN, o jornalista Corrêa Neves Júnior, citou um painel do qual participou em São Paulo no ano passado. Disse que, no encontro realizado pela ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), editores de diferentes jornais do País discutiram e apresentaram suas experiências com as redes sociais.

Júnior explicou que toda empresa de comunicação tem regras para publicar opinião em seus veículos, mas nas redes sociais não há o mínimo domínio sobre o que se escreve. “Todo mecanismo que sugira censura tem que ser evitado, mas há que se ter um filtro, para se evitar denúncias infundadas e palavras de baixo calão”, defendeu. O jornalista citou casos de jornais que liberam todos os comentários postados em seus sites e só leem a opinião do leitor após uma possível denúncia sobre excessos. Em casos como esse, se a mensagem for mesmo descomedida, o comentário é excluído. “Outros veículos preferem moderar. Este é nosso caso. Hoje fazemos isso, mas não quer dizer que este seja o caminho para sempre.” Dentro desta postura, disse que a opção do “não curtir” pode fazer com que os autores dos comentários sintam-se ofendidos, atacados, e, por isso, não será disponibilizada no portal. “Mas tudo é evolução, estamos caminhando. A própria democracia se regula.”

A conselheira Adriana Garcia lembrou que no caso da jovem morta após cair de carro no córrego dos Bagres, os comentários viraram uma discussão. “Esqueceram o fato.” O colega dela, Ézio Athayde Souza Júnior concordou com a existência de um filtro, mas ponderou que “a partir do momento em que a pessoa se abre para o mundo virtual, está propensa a receber informações que acha ser um absurdo”.

O diretor do GCN fez questão de esclarecer que a empresa não faz “juízo de valor sobre o juízo de valor dos seus internautas”. Mas que prefere moderar a ser moderado pela Justiça. E é balizado nos limites impostos pelo Judiciário que são tomadas as decisões também sobre as notícias que serão publicadas. “Antes de noticiarmos qualquer assunto, checamos tudo – até mais do que prega qualquer manual de jornalismo. Publicamos o que é verdade e o que é de interesse público. Mas há juízes que entendem que se a notícia, mesmo verdadeira, causar danos aos envolvidos, cabe processo.”

Júnior ponderou que, apesar das dificuldades, há muitos juízes de primeira ins-tância que têm compreendido e defendido a liberdade de expressão, inclusive a importância da crítica e da denúncia responsável. “Na maioria das vezes, quando isso não ocorre, os tribunais superiores têm corrigido as distorções.”

O jornalista completou relatando aos novos conselheiros a difícil missão de decidir o que é notícia no Comércio, no Portal GCN ou na Difusora. “Somos obrigados a sermos menos ousados do que gostaríamos de ser. Pela Justiça, temos de ser mais contidos. Mas assumimos riscos todos os dias, mesmo com a certeza de que o estamos publicamos foi checado e rechecado e de que temos convicção absoluta de que o que estamos publicando é a verdade. Porque nada é pior para nós do que alguém sequer imaginar que somos levianos ou inconsequentes.”
Recepção
A jornalista e escritora Sonia Machiavelli, presidente do Conselho Consultivo do GCN, deu as boas-vindas aos membros do Conselho de Leitores 2012. “Estou no jornal há 39 anos, ele é minha vida. Agradeço a disposição de vocês virem aqui, nos ajudar a fazer melhor o que nos gostamos de fazer.” Ao lado da jornalista, recepcionaram os novos membros do Conselho, o diretor executivo do GCN, Corrêa Neves Júnior; a editora-chefe do Comércio, Joelma Ospedal; o diretor artístico da rádio Difusora, Everton Lima; o gestor de Relações Corporativas e editor de Opinião, Luiz Neto; e o editor de Local, Luciano Tortaro.

Quem são eles
O Conselho de Leitores 2012 é formado por Adriana Ap. Garcia (supervisora de vendas); Ana Amélia G. Ferreira (estudante); Cícero de Oliveira (empresário); Débora Carrijo (contadora); Éder Brazão (empresário e advogado); Ézio Athayde Souza Jr. (empresário e professor); Iraci Pereira (comerciante); Marcel Antônio Santos (funcionário público); Mariza Garcia (professora); Renata Fuzisawa (psicóloga e psicopedagoga); Ronaldo Silva (vendedor) e Valdir Alves (motorista profissional).

‘Hora da Verdade’
Com as férias do apresentador Hélio Rodrigues, o programa Hora da Verdade, que vai ao ar de segunda a sexta-feira, das 11 horas ao meio-dia, na Difusora, passou a ser apresentado por Everton Lima com comentários do advogado Fábio Cruz. A nova dinâmica do programa agradou o Conselho. “Eles têm uma postura bem isenta”, disse Éder Brazão.

Colunas sociais
As colunas sociais foram alvos dos conselheiros. O tema foi levantado por Iraci Pereira, que reclamou das “mesmas fotos” na coluna Higininho. A crítica gerou um debate sobre as colunas do Comércio. Insight, Patrícia e Higininho ti-veram suas características debatidas pelo grupo que, bem heterogêneo, divergiu sobre cada uma das três páginas. Júnior disse que, justamente pe-los diferentes tipos de leitores, é que o jornal mantém os três colunistas. “Nossa alternativa é aumentar o leque de opções”, disse Júnior. “Cada coluna tem seu público e o Higininho tem leitores fiéis”, completou Joelma.

‘Pisca pra mim’
O caótico trânsito de Franca também esteve em pauta. O conselheiro Éder Brazão retomou a proposta apresentada pela editora-chefe do Comércio, Joelma Ospedal, de uma campanha de conscientização promovida pelo GCN. A ideia dele é incentivar o uso das setas através do movimento “Pisca pra mim”. Joelma agradeceu a sugestão e disse que a empresa está estudando a campanha.

Written by GCN Comunicação

19/02/2012 at 12:54

Novos conselheiros participam do primeiro encontro na sede do GCN

leave a comment »


Dirceu Garcia/Comércio da Franca

NOVIDADE - Membros do Conselho de Leitores acompanham a impressão de um dos cadernos do ‘Comércio da Franca’

O GCN Comunicação recebeu na noite de ontem os 12 membros do Conselho de  Leitores 2012. Os novos conselheiros tiveram oportunidade de ter as primeiras noções sobre o trabalho desenvolvido pelo grupo, que engloba o jornal Comércio da Franca, rádio Difusora AM, Portal GCN e a agência de publicidade Crazz. No fim do encontro, eles visitaram o parque gráfico e acompanharam a impressão do caderno Artes que veicula na edição de hoje do jornal.

Antes de assistir à impressão, os conselheiros participaram de um encontro descontraído com o diretor-executivo do GCN, Corrêa Neves Júnior. O jornalista apresentou parte da equipe da redação integrada do Comércio e rádio Difusora. A editora-chefe do jornal, Joelma Ospedal, o editor de Local Luciano Tortaro, o diretor artístico da Difusora, Everton Lima, a jornalista Nelise Luques e o fotógrafo Dirceu Garcia participaram do encontro. O gestor de relações corporativas Luiz Neto acompanhou toda a visita.

Júnior resumiu a história do Comércio e Difusora e discorreu sobre o processo de produção do jornal, além das expectativas de que o grupo contribua para aprimorar os trabalhos do GCN. O Conselho de Leitores participa de reuniões ao longo do ano para avaliar as reportagens veiculadas pela empresa. Ronaldo Pereira da Silva, 37, é um dos novos conselheiros. Ele aprovou o primeiro contato que teve com a equipe e a estrutura da empresa. “É uma descoberta, porque não conhecia nada do universo do jornal impresso e sempre tive muita curiosidade de saber como o jornal é feito, como são as etapas e equipamentos utilizados.”

O processo de escolha dos novos membros deste Conselho recebeu 154 inscritos. Após uma seleção inicial, 17 candidatos foram entrevistados e oito deles escolhidos para compor o grupo. Outros quatro conselheiros foram reconduzidos do Conselho 2011.

No encontro de ontem, os conselheiros já contribuíram com as publicações do GCN. Conheceram as cinco opções de capa da próxima revista Morar, que circula em fevereiro, e votaram em uma delas. A primeira reunião oficial do Conselho será neste próximo sábado.

Written by GCN Comunicação

09/02/2012 at 12:45